quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Published 16:36 by with 6 comments

Conto de Fadas: O pé de Zimbro

Olá, navegantes, bem vamos falar hoje sobre um conto de fadas, mas bem eu irei falar sobre a versão que eu li.


Um dos meus passatempos e ler os contos em sua forma original. Como base para essa postagem vou usar o meu livro: Contos de fada


Bem hoje vou falar de uma história um tanto quanto macabra, não mais que a Vasilisa a bela, que pretendo falar logo também.

Bem pelo nome ja dá para entender o que acontece ne, ja que Minha mãe me Matou e meu pai me comeu e bem sugestivo.

Contexto do Conto
  Neste conto temos elementos bem peculiares, como canibalismo, decapitação, o descuido de um pai e a obsessão de uma madrasta que tem ódio por um filho que não seja seu. Na maioria das versões a criança principal e sempre um menino, mas existe versões em que seja uma garota.
  Este conto [ de acordo com a época] queria mostrar a criança ganhando independência dos laços com sua mãe, sem a presença de uma mãe. E ganhando autonomia ja que a Mãe significa dependência e o pai por costumar estar mais ausente na criação dos filhos, representam autonomia.
  Ainda em uma outra versão, a criança permanece como um pássaro, e o pai e filha vivem seu felizes para sempre.

A história
- Há muito tempo atras havia um casal muito feliz mas que não tinham filhos, assim aquela doce mulher pedia dia e noite pela a graça de uma criança. Em um dia descasando uma maça embaixo do pé de zimbro que havia em seu jardim cortou o dedo, gotejado uma gota de seu sangue na neve ela desejou: "Ah! se pelo menos eu tivesse uma criança vermelha como o sangue e branca como a neve!" Cheia de fé e esperança começou a acreditar que seu desejo ia se realizar...

  Com o tempo passando a neve se foi e a primavera chegou, quando a mulher passava pela arvore seu peito se enchia de alegria... seus frutos foram crescendo e ficando maduros... No setimo mês ela se deliciou com as gabas de Zimbro ate passar mal, e ficar doente... No oitavo mês chamou seu marido e disse que se ela viesse a morrer para enterra-la embaixo do pé de Zimbro. Chegando a nono mês ela deu a luz a uma criança branca como a neve e vermelha como sangue e assim morreu de alegria.
  Como foi pedido ela foi enterrada abaixo do pé de zimbro, seu marido chorou muito, mas com o passar do tempo se casou de novo.

  Mas sua nova esposa tinha um ódio doentio pelo menino filho de seu casamento anterior, queria que sua filha herdasse tudo, assim judiava sempre que podia do garoto e ele nunca tinha paz. Em uma dia deu uma maçã para sua filha, a menina perguntou se seu irmão poderia ter uma também, a mulher pegou a maça da menina e colocou de novo no baú de madeira e disse que daria ao menino quando ele chegasse da escola. E assim foi, com uma ternura fingida ofereceu ao menino a maçã com uma fúria diabólica nos olhos, mas o disse: pegue você mesmo, sendo assim quando o menino pos a cabeça para dentro do bau para pegar a maça a mulher bateu a tampa com tanta força que decapitou a criança.


  Desesperada sem saber o que fazer e não querendo levar a culpa, pegou um lençol enrolou em volta do pescoço do menino e o colocou sentando com a maça na mão... Sua filha vendo seu irmão sentado daquele jeito foi falar com sua mãe la na cozinha: "Mãe meu irmão esta pálido e quando o pedi que me desse a maça ele não me respondeu." A mulher disse para ela pedir de novo e se ele não respondesse que ela desse um tapa nele. A menina volta desesperada pois ela tinha degolado seu irmão. Sua mãe disse: " Marlene que coisa horrorosa que você fez, não diga nada a ninguém! Mas não tem nada que possamos fazer, vamos corta-lo e fazer um ensopado.

  Assim foi, enquanto fazia o ensopada Marlene chorava tanto que nem sal foi preciso por. Quando o Pai chegou em casa perguntou pelo filho, sua esposa disse que ele tinha ido ficar um tempo com o Tio-avô da sua mãe, e que iria ficar por seis semanas. O pais ficou triste porque a menino não se despediu. Mas logo começou a comer um ensopada com uma gana enorme, foi comendo e comendo até que so sobraram os ossos e ainda comentou que parecei ter sido feito somente para ele. Quanto mais comia mais queria.


  Marlene pegou seu melhor lençol de seda enrolou os ossos de seu irmão e colocou aos pés da arvore de Zimbo, de repente a arvore começou a se agitar, surgiu uma chama e uma ave apareceu de lá e depois sumiu. A garota se acalmou e foi jantar com a sensação que seu irmão ainda estaca vivo.

Aquele pássaro se pós sobre um telhado de um ourives e cantou:
"Minha mãe me matou,meu pai me comeu"
"Minha irmã Marlene meus ossos recolheu"
"Em seda os envolveu, e sob o Zimbro os depositou"
"Agora bela ave canora eu sou"

  Aquele homem ouvindo a canção saiu de casa so com um sapato mesmo para pedir que o pássaro a cantasse de novo, mas o pássaro pediu a corrente de ouro, o homem deu e assim ele repetiu seu canto.
  Assim ele recolheu uma corrente de ouro, os sapatos e a mó [ Pedra grande que se trituravam os grãos no moinhos]. Cada uma dessas coisas ele pegou em um lugar diferente que eu omiti ja que estou resumindo a história. Então ele pegou essas coisa e voou para a casa de seu pai.

  Naquele dia Marlene ainda chorava, seu pai estava feliz com a sensação de que iria rever um velho amigo, mas a Mãe estava atormentada e com os nervos a flor da pele. Assim o Pássaro chegou posou em um dos galhos e começou a cantar. A mulher tentava não ouvir mas não conseguia, a menina chorava cada vez mais, o Pai curioso saiu de casa para ver a bela ave. Logo a Ave soltou a corrente de ouro no pescoço do pai, ela serviu perfeitamente; A mulher caiu no chão  e sua touca saiu da cabeça, ali ela desejou estar morta para não ver isso...

  Novamente a ave começou a cantar e a mulher caiu como se estivesse morta. Dessa vez Marlene saiu e ganhou lindos sapatos vermelhos, feliz e saltitando voltou para contar para a mãe. Ela por sua vez decidiu sair também na esperança de melhorar, ja que ela sentia como se o mundo fosse acabar. A mulher saiu em quando passou da porta a pedra de moinho caiu sobre sua cabeça esmagando-a, o pai e a menina foram correndo olhar, estava cheio de chamas e fumaça, e quando elas sumiram o Menino apareceu eles entraram e felizes foram a mesa para jantarem.
[Conto Online]

Autor: Philipp Otto Runge

  Eu resumi a história, focando nos pontos principais, então recomendo que leiam para conhecer os detalhes que omiti e também as emoções descrita no conto. Esse é um dos contos de fada mais macabro que eu conheço, junto com o flautista de Hamelin e Vaselisa a bela, sem mencionar algumas versões de Cinderela.

      edit

6 comentários:

  1. Nossa, isso foi mesmo macabro! Mas tudo terminou felizes para sempre, pelo menos, haha. ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem pois com um final ruim eu caçar cade a parte conto de fadas? kkkk

      Excluir
  2. Oi, oi, Taina!!! Tuudo boom??

    PERAEW! AQUILO ERA UM BAÚ OU UMA GUILHOTINA?! Porque tipo.... O máximo que aconteceria era o moleque se engasgar (ficar em ar) e talvez desmaiar e depois ficaria baita marcona no pescoço da criatura @_@ (sei disso porque uma vez uma mesa-banco-sei-lá-oque-era-aquilo caiu com tudo no meu braço ;-; kkkkkk). Mas então... Como é conto, tudo pode acontecer :V

    Realmente foi um tanto macabro. Pode me chamar de psicopata/maníaca/loura/retarda/EmoGóticaTrevosaQueCortaPulsos sei lá o quê, mas eu AMO gêneros assim. Conheces Edgar Alan Poe? Ele é praticamente que meu amor não correspondido (e morto kkkkkk). Os contos e histórias do titio Poe realmente é de fazer você querer vomitar, mas é tão bom :3 (recomendo ver O Coração Denunciador, Berenice e PRINCIPALMENTE O Gato Negro >.<).
    Mas foi legal você ter trazido contos aqui :33 Eu super aprovo haha!
    Amei o post!! <3
    Chu~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem uns contos bem cabulosos esse é um essa mulher deve ser muito forte ou tinha uma lamina nesse baú... vai saber, esse povo era criativo para maldades.

      Eu nunca li livros desse autor não mas vou dá uma procurada, sempre é bom achar coisas assim. bjs

      Excluir
    2. Na versão original o baú possui uma tampa muito pesada e com um fecho grande de ferro maciço...E o ferro é que decepa a cabeça do menino.

      Excluir
    3. Medonho, eu já acho essa versão medonha imagina com detalhes tão ricos, mas gostaria de ler
      bjs

      Excluir

Regras:

+ Compartilhe sua opinião de forma livre, mais seja educado.
+ Comentários ofensivos não serão publicados
+ Coloque seu blogger ai que eu visito.
+ Responderei assim que possível.